quinta-feira, 11 de junho de 2009

Ísis e Osíris - Amor e Devoção

Segundo a lenda Osíris governou o Egito com justiça e benevolência sempre fazendo uso de sua palavra o que teria cativado muitas pessoas e levado seu irmão, Seth a invejá-lo de tal modo que ao saber que seu irmão havia herdado o reino de seu pai na terra, planejou um terrível ato de traição contra Osíris, para assim matá-lo e usurpar o poder. Enquanto Osíris dormia, seu irmão Seth tirou suas medidas e sendo ajudado por setenta e dois conspiradores mandou que construissem um belo e luxuoso sarcófago para seu irmão. Após o término da construção e ornamentação do tal sarcófago, Seth organizou um banquete e lançou um desafio: Aquele que coubesse no sarcófago ganharia-o de presente. Todos os deuses tentaram, mas nenhum se ajustara, exceto seu irmão Osíris que ao entrar no sarcófago foi ali trancado e jogado ao rio. Devido a correnteza o sarcófago foi levado até a cidade de Biblos, na Fenícia. Sabendo do ocorrido Ísis, a amada esposa de Osíris, partiu em sua busca e após muitas aventuras, conseguiu retornar com o sarcófago para o Egito e por segurança, este fora escondido em uma plantação de papiro e ali ficou por algum tempo. Certa noite, ao sair para caçar, Seth descobre o sarcófago e ao verificar que o corpo de seu irmão ainda está ali, resolve cortá-lo em pedaços e espalhá-lo por todo o Egito. Novamente Ísis parte em busca dos restos de seu amado Osíris, mas desta vez tendo a ajuda de sua irmã Néftis. Ambas são transformadas em milhafres, uma espécie de ave de rapina; assim encontram todas as partes de Osíris, exceto seu órgão genital, que havia sido devorado por um peixe. Ísis recebe a ajuda de Anúbis e este leva os restos de Osíris para o ritual de mumificação, tornando-o a primeira múmia do Egito. Ísis tinha tanto amor e devoção por seu amado, que seus esforços foram recompensados...Ísis é premiada com o nascimento de seu filho Hórus, filho da magia e do amor. Seth insatisfeito, mais uma vez, inicia uma luta pelo poder que envolveu todos os deuses. Por fim o próprio Osíris do outro mundo teria ameaçado mandar levantar todos os mortos se não fosse feita a justiça. e um tribunal de deuses estabelecem que a sucessão no Egito fosse então hereditária, e assim, Hórus pôde reinar. Dessa maneira o faraó em vida convertia-se em Hórus e ao morrer identificava-se com Osíris, o soberano do Além, considerando-se igual ao deus.

A lenda de Osíris é um dos textos gravados nas paredes das pirâmides. Essa bela história de amor e devoção, decifrada pelos estudiosos tem milhares de anos e é um belo exemplo para todos aqueles que amam de verdade e que respeitam esse amor.

Composição por mim escrita baseada em informações do livro: Mitos e lendas do Egito Antigo - JAMES, T.G.H.

6 comentários:

AnjaDarks disse...

Olá my Angel!

Bom você sabe o quanto eu gosto dessas histórias, sobre o Egito, né? Ainda mais quando falam do amor, o verdadeiro amor.

Como sempre, belo texto!

Beijos e saudades

Anja

OCP disse...

Confesso que não conhecia esta lenda mas gostei muito do seu texto. :D

É sempre bom ler algo nove aqui no seu blog, fico contente que esteja postando de novo. ;)

Abraço. :)

Gremista Fanático disse...

Muito bom poder conhecer um pouco dessa mitologia egpcia, muito interessante, beijos guria.
Saudações do Gremista Fanático

Mr. Zahta disse...

Adorei a história! Deuses, reis, acontecimentos míticos... Sei pouco sobre a mitologia egípcia, mas com certeza essa história se tornou uma das favoritas no ramo!
Realmente o amor sempre muda o curso das coisas, e faz com que nos tornemos veradeiros heróis!
Parabéns!

Max disse...

Oi Angel,

Que lindo! O Amor é de facto a coisa mais linda que há ao cimo da terra. Por ele atravessamos qualquer obstáculo e com ele somos invencíveis.

Hórus, o Deus da Magia...o seu olho vê para além do aparente e atravessa a parede do vísivel para o invisível!

Amei este texto, querida!

Beijos

Diego? Glommer? disse...

Não sou muito adepto e conhecedor de mitologia, mas não poderia deixar de ser um apaixonado por essas belas histórias de amor.

Beijo!